Depressão: O mal silencioso

Oi, gente! O texto de hoje eu escrevi faz um tempinho porém, só agora que tive coragem para publicá-lo! Já falei sobre a minha depressão no snapchat mas, admito que meu ego balança bastante quando trago esse assunto à tona! Porém, assim como eu vi no snap aquele dia, sei que tem muita gente que tá passando por isso! Espero que gostem, é de coração <3

Jesus já dizia que a verdade liberta e que devemos servir os outros. Apesar de não não ser católica, acho esse ensinamento lindo e me sinto no dever de compartilhar com vocês o que aconteceu comigo. Quem me acompanha faz tempo, deve ter visto que teve um tempo que eu larguei de mão o blog. Demorei para contar o que aconteceu porque queria estar mais segura quando compartilhasse isso com vocês afinal, a internet pode ser bem cruel. Então, hoje vou contar para vocês o que me aconteceu.

depreComo é ter depressão

Acredito que faz uns 3 ou 4 meses desde que comecei a tomar meu medicamento para depressão. Isso mesmo, depressão, ficou espantado?  Eu também. Ora, logo eu, saudável, com um corpo bom, com boa família, amigos e uma vida perfeita, depressão?! Tudo bem, não é perfeita, mas é extremamente abençoada, não? Porque será que eu não conseguia mais enxergar isso?

Demorei muito tempo a admitir que poderia ter depressão afinal, todo mundo ficava triste as vezes né? Estava terminando o projeto 10, na minha melhor forma, meu instagram crescendo, vários projetos ganhando forma… Mas a tristeza não passava. Procurava em outras pessoas e cada vez mais me afundava. Muitos diziam que era frescura. Até que depois de muito tempo nesse estado, entrei em uma crise. Foi então que resolvi seguir o conselho de minha mãe: Fui consultar uma psiquiatra.

depre11Sinto falta do antigo e feliz eu.

Relatei pra ela o que estava acontecendo: Eu sempre fui uma pessoa muito feliz, desde criança. Sempre vi a vida cor de rosa! Porém, nos últimos meses, não estava sendo assim. A única coisa que ainda me fazia um pouco feliz era o skate e olhe lá, já estava deixando de lado também! Não tinha mais muita vontade de surfar, não ligava pra minha família, fui me afastando de meus amigos… Tive crises de insônia e dias de dormir muito. Comia demais ou não comia nada. Depois de muita conversa, ela me explicou sobre a depressão e me receitou um rémedio. A melhor coisa que ela me disse sobre a depressão foi: É uma lente escura. O rémedio nada mais vai fazer que clarear a sua visão e te trazer de volta a realidade. Ok, eu disse… E cá estou eu de novo! Porém, eu sei que não estou sozinha!

Esse é definitivamente o ano das mídias sociais. Passamos do estágio em que utilizávamos-nas apenas para diversão e, atualmente, já são usadas como meios rentáveis de trabalho. E quem seriam essas pessoas mais ativas na internet? Isso mesmo, os jovens.

A internet é com certeza um grande facilitador. Une pessoas, reune informações, facilita a comunicação, divulga produtos mais facilmente e entre mil e uma possibilidades. O grande problema se instala quando nós vemos essa grande potência dando conta de tudo e esquecendo que, de máquina, nós não temos nada.

Quando abrimos o instagram da Gabriela Pugliesi, por exemplo, encontramos lá fotos dela saradíssima, com o namorado, a família perfeita e a vida perfeita. Aí que tá: Perfeita aos nossos olhos. Ninguém sabe o que acontece dentro da casa , dentro da cabeça, ou dentro do coração dela. Ninguém sabe se os comentários que ela responde rindo na verdade não está chorando. Ninguém sabe da Gabriela em si, apenas, da imagem que os outros projetam que ela é. E aí mora um grande problema para quem não tem esse discernimento: A cobrança

cb21389f391cf0f5bba64e79f5d383a9

Temos excesso de atividades, aulas, cursos, esportes, queremos dar conta do mundo sozinhos, e para ontem de preferência. Mas a natureza não obedece à velocidade dos 4G. Um estudo divulgado nos EUA em 2013 apontou que 70% dos 33 meninos que tiraram a própria vida tinham exigências altas demais. Muitas vezes nós, jovens, criamos uma imagem própria irreal, criando expectativas fantasiosas e fora do tempo e da realidade, não tendo espaço para sermos nós mesmos e tolerar as frustrações necessárias da vida. É por isso que cada vez mais ficamos doentes.

A depressão e a ansiedade são problemas tão comuns quanto o câncer a aids, a não ser por não serem discutidos. Problemas mentais são um tabu em nossa sociedade. As pessoas são tratadas como  loucas, e não como quem precisa de ajuda. Nos jovens isso é ainda pior: O cérebro adolescente não está totalmente desenvolvido, o que facilita atos impulsivos  e muitas vezes, até mesmo o suicídio. Para ter noção da gravidade essa taxa, em 10 anos,  cresceu 40% nos jovens de 10 e 14 e 33% nos de 15 a 19. Você realmente ainda acha que isso é uma bobagem?

depre9Sim, eu tenho depressão. Não, não consigo só “superar e seguir em frente”.

Precisamos quebrar o tabu sobre as doenças mentais. Precisamos parar de nos comparar com os outros. Precisamos admitir que a ansiedade e a depressão estão tomando proporções absurdas entre os jovens. Precisamos parar de achar que a vida tem que ser perfeita. Precisamos parar de empurrar tudo isso para debaixo do tapete e parar de achar que é frescura.

Devemos cuidar de nossas mentes com o mesmo empenho e preocupação que cuidamos de nossos corpos <3

Beijinhos,

Gabi

18 Comentários Depressão: O mal silencioso

  1. victorarcuri@hotmail.com'Victor 17 de junho de 2016 às 2:56 PM

    Parabéns pelo texto, Gabi !

    Responder
  2. simone_vicente@hotmail.com'Simone Vicente 17 de junho de 2016 às 7:19 PM

    Obrigada Gabi!!! adorei e te parabenizo pela coragem de publicar este artigo, te admiro muito mais ainda <3
    Você com certeza ajudará muitas pessoas, porque realmente ainda existe muito tabu e preconceito e isso vindo de uma garota tão linda e especial, quem realmente imaginaria? Eu já tive depressão e me identifiquei bastante com sua história.
    Um grande beijo!

    Responder
    1. Gabriela Bez 19 de junho de 2016 às 8:30 PM

      Siii! Obrigada! <3 <3 Com certeza ainda tem muito preconceito mas, é falando sobre que a gente consegue quebrar né? 🙂 Só quem já teve sabe, né? Beijinhos lindona!! <3

      Responder
  3. nana_izabele@hotmail.com'Nathalia 17 de junho de 2016 às 9:56 PM

    Oi Gabi! Muito bom o seu texto e a forma como você tratou esse assunto… Tem que ter coragem pra falar sobre isso mesmo! Eu passei pela mesma coisa (também ainda não me recuperei 100%) nos últimos meses! Comecei meio tristinha aqui e ali e comecei a ter crises de ansiedade. É horrível quando o medo toma conta e é pior ainda pois aos olhos dos outros isso é frescura. A gente sempre acha que isso nunca vai acontecer com a gente… Está tudo “perfeito” quando aos poucos a tristeza, a ansiedade e a vontade de se isolar tomam conta. Eu me apeguei muito em Deus nesse momento, acho que numa hora dessas só Ele pra nos ajudar a ter esperança de que o amanhã pode ser melhor. Espero que você melhore logo! Só quem passa por isso sabe o quanto é difícil enfrentar dia após dia, mas aos poucos vamos aprendendo a lidar com isso e nos tornamos maior do que nossos pesadelos <3 Deus te abençoe.

    "Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
    Isaías 41:10"

    Esse versículo me ajudou e me ajuda muito nos momentos mais difíceis! Ele sempre estará conosco.

    Responder
    1. Gabriela Bez 19 de junho de 2016 às 8:34 PM

      Oi Nathalia! Com certeza, o pior é muitas vezes nem saber explicar o que aos olhos dos outros é frescura! O mais importante é cuidar da gente e saber que tudo é temporário e tem seu tempo!
      Que legal, eu também me apego a frases nesses momentos… Tatuei no meu braço a oração da serenidade, que diz para termos serenidade para aceitar aquilo que não podemos mudar, coragem para mudar aquilo que posso e sabedoria para distinguir uma da outra! Tomara que a gente consiga! 🙂
      Um beijão para você!

      Responder
  4. valeria_oltiman@hotmail.com'Valéria Oltiman Vianna 17 de junho de 2016 às 11:57 PM

    Gabi, sua atitude em compartilhar isso conosco é mto mais transformadora do que você pode imaginar. Demonstra coragem, maturidade e discernimento. Acompanho sua página no insta a algum tempo. Adoro seu estilo, e também compartilho essa alegria pelo skate. Hoje, depois deste post, lhe admiro ainda mais. Você nos lembra que aparências nada mais são que aparências. E que a felicidade é um estado interno, não deve depender das circunstâncias.

    Assim como sua psicóloga já disse, que nunca esqueçamos disso:

    “Sua mente sua lente.
    Lente escura, mundo escuro .
    Lente clara, mundo claro.”

    Continue sendo esta pessoa autêntica.

    Grande beijo!
    @valviannaa

    Responder
    1. Gabriela Bez 19 de junho de 2016 às 8:39 PM

      Oooo Valéria, ganhei até poesia! <3 Fiquei muito feliz com oq eu você escreveu também, muito obrigada!! Seu comentário me dá mais segurança para continuar compartilhando minha vida com vocês! 🙂 Beijinos! <3

      Responder
  5. jessiicafkc@gmail.com'Jéssica Calmon 18 de junho de 2016 às 1:14 PM

    Passei pela mesma coisa. E é realmente horrível. Tudo que antes você amava, passa a não fazer sentido. Muito legal você falar sobre isso. É algo comum e pouco falado.
    Beijinhos Gabi. Sucesso!!

    Responder
    1. Gabriela Bez 19 de junho de 2016 às 8:42 PM

      Oi Jéssica! É verdade! Como explicar pros outros algo que nem você mesma entende direito né? Ainda bem que a internet tá aí pra gente compartilhar nossas experiências e mostrar que todo mundo é ser humano, né? Obrigada pelo comentário! Beijinhos! 🙂

      Responder
  6. raphael.jpereira@outlook.com'Rapha Pereira 19 de junho de 2016 às 10:50 PM

    Boa noite Gabi! Acredito que seja difícil para você ler todas as mensagens que recebe, não só pela grande quantidade de coisas que recebe mas também por ser muito atarefada com o blog, o controle da êxtase e sua vida pessoal, claro rs Mesmo assim eu decidi deixar uma mensagem aqui para você. Eu comecei a te seguir no insta depois te der lido uma matéria sobre skate (onde falava sobre mulheres que praticavam o esporte). Ok, de início eu comecei a olhar mais pela sua beleza e pelo seu estilo. Acho você muito gata! rs mas acho que o eu estava em busca mesmo era um incentivo a mais pra correr atrás de aprender a andar de skate. Achei muito maneiro aquele vídeo seu para a Korova. Me vi querendo fazer aquilo (ainda mais com aquela sonzera do Vic Mensa no vídeo rs). Era aquilo que eu estava querendo encontrar. Não o vídeo em especifico, mas eu queria algo que mexesse com a minha cabeça e me fizesse sair da inércia. Algo que me fizesse falar “Po, eu quero fazer essa parada também!”. Sempre tive vontade de aprender a andar e principalmente aprender a surfar. Mas por diversas razões eu nunca tomava uma atitude. Em pouco tempo eu me vi novamente no mesmo estado que estava antes. Não deixei de seguir você, pelo contrário, continuei olhando um pouco de tudo que você faz. Vi um pouco dos suas ideias, do lifestyle que você tem. Na real, fiquei encantado! Gostei muito da energia que você tem. Você transmite uma vibe leve, tão boa. É inspirador ver que uma mulher de 23 anos é assim determinada e com uma luz própria diferenciada. Eu, que alguns anos atrás tive depressão (e que acredito que não estou 100% livre dela) já tive várias fases em que as coisas ficaram muito bagunçadas e confusas. Mas não me dei por vencido e espero ainda superar tudo isso. Acabei de ler sua postagem no blog sobre esse mesmo assunto e fiquei surpreso. Como você mesma disse no texto, a imagem que as pessoas passam por fora não mostra como elas são/estão por dentro e num primeiro momento é difícil de acreditar que uma mulher tão bonita, bem sucedida, inteligente e que é modelo para tantas outras passaria por isso também. Mas isso só me fez ver que as reais fontes de inspiração e motivação são essas. Você busca colher os frutos do que plantou e do que vem plantando sem se esquecer da humildade e da humanidade no gesto de ensinar tantos outros como repetir esse ato. Esse é um ato grandioso! Por mais simples que possa ser, ao ensinar um exercício diferente, ao mostrar um texto sobre moda ou sobre a mente humana, até mesmo ao mostrar uma manobra diferente, isso pode mudar muito mais coisas do que você imagina. Pode fazer com que pessoas que se sentem incapazes saiam do mundinho fechado e busquem plantar um pouquinho de Gabriela na vida delas e ter como fruto essa mesma luz que você faz as pessoas sentirem. Obrigado por me motivar. Um beijo enorme para você e muito sucesso sempre. Aqui no Rio você tem um grande fã.

    Responder
    1. Gabriela Bez 20 de junho de 2016 às 4:06 PM

      Oi Rapha! Poxa muito obrigada! Fico lisonjeada com tantos elogios, espero que continue ajudando vocês! <3 A vida é muito mais do que a gente aparenta né?:) Beijinhos e melhoras <3

      Responder
  7. fernando_vidaloka@hotmail.com.br'Fernando 20 de junho de 2016 às 12:43 PM

    Gabi te admiro muito pelo teo estilo de vida,e pelo jeito como vc se expressa. Também passei por um momento muito ruim na minha vida, e até hj quando eu me pego pensando mexe com meu ego.Mais dês do momento que comecei a seguir vc no insta e acompanhar vc no blog através das suas postagens e sua positividade além de linda vc têm toda simplicidade que uma pessoa procura numa mulher.😘😘😙😙 bjs

    Responder
    1. Gabriela Bez 20 de junho de 2016 às 4:07 PM

      Oi Fernando! Com certeza, essas coisas mexem muito com o nosso ego! Obrigada pelos elogios :)))) Beijinhos!

      Responder
  8. malluzinha03@hotmail.com'Mallu 5 de julho de 2016 às 5:04 PM

    ADOREI! Nao deixe de publicar seus textos! Vc esta ajudando mt mais do que imagina! ❤️ Beijocas

    Responder
    1. Gabriela Bez 6 de julho de 2016 às 11:59 AM

      Obrigada Mallu!! Vou continuar sim! <3
      Beijinhos :*

      Responder
  9. bia.fontes@gmail.com'Bianca 13 de julho de 2016 às 7:31 PM

    Obrigada por compartilhar seu relato, ter coragem e dar coragem pra quem está passando pela mesma situação. Luz no seu caminho 🙂

    Responder
    1. Gabriela Bez 30 de julho de 2016 às 4:39 PM

      obrigada bianca! desejo o mesmo para você :***

      Responder

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *